Translate

28 de dez de 2011

Os meus dias de fim de ano!




Tem dias em que eu fico mais esquisita ainda.
E eu sou tão boa em esquisitices, que acho difícil a auto-superação.

É uma coisa meio confusa com feelings distintos, contrários em si e cheios da mesma intensidade, coisa de gente louca mesmo. Dessas que leva uma serie de porrada da vida pra aprender, e um dia sai correndo e gritando que aprendeu, pra perceber que ainda tem tanto pela frente que o que sabe mal da pra ser citado.

Ano complicado esse.
Complicado apenas, não ruim!
 Eu diria do alto do meus profundos conhecimentos: "necessário"! Como meus profundos conhecimentos andam conflitantes, só conto como me sinto.

Ano de aprendizado sem duvida. De perceber que os amigos, são essenciais, que o amor eleva a alma e a família, tão filha da puta, é base e ponto final.
Tive um monte de finalizações e começos.
Gente que se foi, por vários motivos e deixou um espaço em branco, mas tela em branco é maravilhoso, a gente pode escrever ou pintar o que quiser nela.
Gente que se foi, e puta que pariu, foi bem tarde!!
E gente que chegou.
Vinda assim do nada, sem pretensão de ir pra lugar nenhum, e foi fazendo toda a diferença.

De uns tempos pra cá, parei de escrever. Aqui, nos outros blogs, no caderno, na agenda. Deixei de mandar e-mails, só o facebook ficou saturado dos meus comentários amargos e quase doces, e sempre cheios de tudo o que eu penso.
Criei até a ideia da DICA!! e vocês não tem ideia do que foi isso.
Um monte de gente tava crente que era pra si a tal dica. Eu ri!
Uma parte dela tinha "alvo" sim, mas a grande parte e até a pequena parte também, era de mim, era pra mim, era por mim; mas sei lá, tem uma galera tão carente por ai, que qualquer que seja a atenção, mesmo que seja esporro quer pra si.
Vai entender... eu nem tento. meu tempo é tao caro, não da pra gastar assim.

E de repente passei a sentir saudades.
Logo eu, que não sou saudosa...
 Pois é, uma saudade de algumas pessoas, saudades de alguns ideais, saudades de coisas simples... saudades de coisas mais complicadas, saudades simples assim!

E agora, voltei, não sei se por muito ou por pouco tempo, mas pelo tempo necessário com certeza.
Vou vivendo aqui e compartilhando aqui, afinal a graça é essa!!

O ano que vem ainda vem, só espero que chegue e me deixe acontecer!!

Feliz ano novo!!


Beijos na alma.

(imagem by google)

15 de nov de 2011

Só pra te dizer..


Se eu dissesse uma unica coisa que adoro em você, ficaria em débito com todo resto.
Uma palavra apenas não traduz tudo o que você representa, nem tudo o que sinto. Seriam necessárias várias poesias dos grandes poetas para compor uma unica que traduzisse sua importância na minha vida.

Isso tudo por que eu amo seu sorriso e som da sua gargalhada. Amo sua voz e seu silencio, amo sua respiração e o seu jeito de me olhar.
Amo o seu cheiro e a maciez da sua pele, amo a cor dos seus olhos e a forma como você pisca sem parar a luz do sol.
Amo quando você é a ultima coisa que vejo e antes de dormir e a primeira visão do meu dia, ao acordar.

Acho você uma das pessoas mais fortes que eu conheço, e embora você (muitas vezes) não veja, é também uma das mais inteligentes.
Estar ao seu lado foi sem duvida o maior presente que recebi em toda minha vida!!
E falo isso muito além do fato de namorar você.

Mas acima de tudo eu adoro você, simplesmente, por ser você.
Amo seus medos, suas duvidas, suas certezas...

Desde o primeiro instante até o ultimo suspiro deste sentir, e com todas as incertezas de futuro, só tenho a dizer (novamente e sempre) MUITO OBRIGADA, POR ESTAR NA MINHA VIDA!!


Amor à todos
Beijos na alma.

2 de out de 2011

O ano passando...

Incrível, como este ano esteve ao avesso de algum modo.
Tudo predizia um ano bom. é ano de Iansã, sou filha de Iansã. É o ano do coelho, no horóscopo chinês, e adivinha qual é o meu signo por lá?
Pois é... sou o tal do coelho... Não adiantou muito.

Na verdade, não posso afirmar que tenha sido um ano ruim. Amarrado talvez...
As coisas seguem a passos muito lentos. Quase torturantes.
Eu estava conversando com o Leão, e uma certeza desse ano, foram as finalizações de relações doentes.
Não ouso dizer doentias (embora o termo possa se encaixar), prefiro doentes. Relações cansadas, que em nada já acrescentavam, mas permaneciam.
Finalizadas essas relações. restam iniciar outras melhores.

É curioso, pra mim. Nunca fui de deixar de falar, de cortar relações com as pessoas, e é muito estranho que isso aconteça agora, a essa altura do campeonato...
Mas também não é de todo ruim, afinal, o velho tem que sair para dar lugar ao novo.

Agora vivo a fase de planejar o próximo passo.
Finalizar minhas buscas, fechar pendencias, achar novos rumos.

A vida pode parecer bem estranha de vez em quando...
Mas isso não nos da a chance de pular nenhuma parte dela. E nos obriga a seguir a estrada, seja la qual for a cor dos tijolos.
Eu ando sentindo um certo pesar no peito. Uma certa revolta comigo mesmo por algumas escolhas mal feitas, e me dando a chance de me perdoar.
As vezes meu descontentamento é maior que minha razão, e me deixo ficar em silencio, pra que esse silencio possa me fazer voltar a realidade de existir.
Mas de resto a vida vai seguindo seu curso, e eu continuo a observar...

Hoje li uma frase e esta me fez repensar muitos dos meus conceitos:


"Insistir naquilo que já não dá mais é como calçar um sapato que não te cabe mais.. Machuca, causa bolhas, chega a carne viva e sangra. Então é melhor ficar descalço ! Deixar livre os pés, enquanto cresce.
Porque quando a gente cresce, o número muda! Às vezes você tem que esquecer o que você QUER pra começar a entender o que você MERECE!"

É uma boa reflexão...


Amor a todos.

Beijos na alma.

So para constar

Não sumi não, é só falta de tempo mesmo.

Mas hoje vem a dica, tem um blog novo por ai.
acessem http://www.homaternidade1.blogspot.com/

Logo volto para muitas postagens!!

Amor a todos.

Beijos na alma

20 de set de 2011

Passando...

Como é difícil quando se perdem os grandes laços...
De amizade principalmente, dói muito mais que os laços de amor que são desfeitos.

Difícil ver, ou melhor não ver e nem querer ver, os amigos que um dia foram tão queridos.
As vezes essas mudanças normais da vida me espantam.

Hoje é um desses dias!

Tenho me visto a olhar pra trás e a rever as decisões tomadas, vezes por mim, vezes pela vida em si.
Se penso em chorar, desisto; pois já tenho muitas responsabilidades comigo mesma.
Tantas vezes as decisões só me afetam, não sou responsável por ela, nem as provoco, mas elas acontecem, e me afetam de algum modo..

Hoje tenho pensado com certa surpresa sobre o inicio de muitas das minhas relações... de amores, de amizades, de trabalho...
Me pego pensando "onde eu estava com a cabeça???" ou "que grande merda eu fiz?!!"

Mas hoje, também se deu minha cota de chororo.
Se há uma coisa nessa vida na qual sou péssima, essa coisa é lamentar.
Como diz, minha amiga Cisne "o meu estoque de lamentações é muito pequeno."

Então assim se fez...
Chorei sozinha, precisei de um ombro amigos, fiz ligações, mandei sms, quase implorando um pouco de atenção... ( Ok ridícula!! Mas foi assim!)

Adendo: Já sei de onde vem minha atenção. Fonte inesgotável!
E por mais que eu busque outra, até pra dar descanso ao meu bem querer, não é assim simplesmente.
E não há nada mais valioso do que saber que ela vai estar la. Que me apoia, me ouve, me aconselha! Para isso não há preço! Obrigada, Leão!

Enfim, sobre o restante, o que posso dizer é que passou!
Não os problemas, esses continuam aqui.
Nem a depressão, essa continua querendo me corroer um pouquinho, nem sequer a sensação de falha ou frustração...
Mas passou uma parte importante. Passou a falta de coragem de recomeçar de fazer algo por mim!


Por hoje, olhando agora sobre os escombros dos últimos sentimentos, vejo que é hora do novo de novo!!


Amor à todos.

Beijos na alma.

18 de set de 2011

há dias e ha dias...

Tem dias em que se faz a impressão de que estamos em desacordo com o restante do mundo. 
É como aquela musica do Chico Buarque, que diz "Tem dias que a gente se sente, como quem partiu ou morreu, e gente estancou de repente...'
Hoje eu me sinto minada de forças. Acho que fiquei deprimida. 


De repente olhei em volta e não vi com felicidade as minhas falhas.


Ando numa fase de querer entender eu mesma. De querer melhorar tudo o que eu sou,. Melhor mãe, melhor mulher, melhor filha...
E esse papo de mãe tem me pegado.




E é mesmo assim...
Mas algumas vezes e sem motivo de ser ou não, esse coração fere!
E hoje meu desanimo deve-se a essa ferida, dolorida, aberta, chamada filho.


Que mesmo assim, mesmo amargo, mesmo batendo descompassado, ainda assim é uma das coisas mais importantes que a vida nos dá.
Uma vez me disseram que deus escolhia a mãe, como anjos para protegerem os seus. Ideia dolorida pensar que talvez comigo tenha sido a escolha errada..


Enfim, hoje foi um desses dias que a gente chora, pensa e chora mais um pouquinho, e um desses dias de imensa solidão... Como se eu fosse a unica criatura em todo o planeta.


Mas o que posso esperar é que amanha seja melhor, so um pouquinho.




Amor a todos


beijos na alma.

8 de set de 2011

Maga Malabares

Ando querendo dizer aos meus de sua importância na minha vida.
Não que eles não saibam... Presumo que sabem e sabem bem!
Mas é sempre tão bom saber de novo, ouvir outra vez, ganhar nova certeza... Então, ta. Falo mesmo!

E hoje, falo pra minha amada Maga Malabares.
Quem diria que aquela conversa de duplo sentido, risadas de compreensão, e você dançando Calipso na copa da Varig enquanto devorávamos todos (TODOS MESMO!!!) os Danetes da maquina, resultaria nessa amizade tão essencial, pra não dizer vital, pra mim.

Eu já disse, tenho certeza, mas quero dizer de novo: Obrigada!!

Obrigada pelas palavras e pelo silencio, pelas noites em claro nas intermináveis conversas pelo celular... hora contando as novidades, hora chorando as angustias.
Obrigada pelo carinho e pelos toques, muito bem dados alias. Hora pra me mostrar que acertei, horas pra me mostrar que to indo fazer merda.
Obrigada pela discrição, sem duvida, uma das suas marcar registradas, quando eu precisava falar e não precisava ouvir sobre o que eu falava.
Obrigada por sentar horas na estação do trem somente pra por o papo em dia, mesmo quando não dá!
E muito obrigada, mas muito obrigada mesmo, por ter brincado de Barbie comigo no momento em que a vida realmente parecia um conto de fadas. E depois desse momento ter continuado comigo mesmo de longe!

É minha Maga Malabares, eu jamais diria que você assumiria tanta importância na minha vida, mas não posso é traduzir da felicidade que sinto por isso ter acontecido!

Então, minha amiga, MUITO OBRIGADA POR EXISTIR!!!!

Te amo muito!!


Amor à todos.

Beijos na alma.

31 de ago de 2011

O tempo

Ainda me sinto deprimida, ainda sem vontade de escrever, mesmo que com muito para contar.

E hoje, não fui trabalhar. Estou descontente com o lugar, precisava de tempo, pensar...

Mas ja acordei com uma musica do Lulu Santos na cabeça, e só consegui pensar que estou me sentindo falha...

De repente me sinto meio abandonada pela minha vida, meus sonhos... se é irritação ou TPM, ta demais... Vou precisar de mais um pouquinho de silencio.


Deixo o video!





Beijos na alma

27 de jul de 2011

Irritantemente Otimista!!!





Relendo minha ultima postagem, percebi que não esclareci um fato.
Minhas tristezas se deviam a uma amiga muito querida, que eu tinha como filha, não do ventre mais da alma, e por coisas que a vida faz se afastou em definitivo.
A escolha foi dela e eu respeitei.
Não lhe tenho mal, ao contrario, lhe tenho imenso amor.
Tudo o que aconteceu ainda me dói. Minha tristeza foi imensa. Assim como, agora, se faz imenso meu silêncio.

E eis o fim das minhas declarações sobre isso.

Pobre leão, que tanto me ouviu reclamar...

Por fim, uma luz se formou dentro de mim.
As pessoas que se afastaram tinham mesmo que se afastar. Afinal já não me acrescentavam nada, assim como eu a elas.
Assim se foram com todas as coisas.
Nada do que era ruim tinha que ficar.
Coisa de bicho gente essa de pedir pra vida mudar, melhorar, pra que todas as coisas que não são boas e não dão mais certo se afastem, e quando se afastam a gente fica triste.

Gente é mesmo muito estranho.
E assim se dá comigo também.
Mas eis que sou otimista por natureza, e como diria minha amada Shane. “ Irritantemente otimista”!
E prefiro ver as coisas boas...
Estou em um emprego bom. Não é o melhor, mas é bom!
Minha mãe esta recuperada. (Obrigada, de novo, aos que estiveram ao meu lado, a diferença foi imensa com vocês me apoiando!!!)
Tenho ao me lado, simplesmente, uma das melhores pessoas do mundo (Obrigada VIDA por esse presente MARAVILHOSO!!!!)
Meus meninos, parceiros.
Meus bom amigos, tão pouco e seletos, os MELHORES AMIGOS que o mundo já viu: Renatinha (minha maga malabares), Anselmo (homem mal- macho alfa dominante), Thais Stella (Cisne, que aguenta TODO o meu mal humor), Viktoria (minha suave ilusão), Meu amado Leão (sem palavras existentes pra te descrever), Angel D’mont (my sweet angel), Valéria (minha eterna fênix).

Com tudo isso é impossível não ser otimista!!

E a vida vem de novo, me enchendo de ideias, me empolgando com planos e metas!
Hoje senti a liberdade em mim. Sem dores, sem amores que não os merecidos. Acabou qualquer resquício.

Abro espaço para a alegria!
Renovada!!!


Amor a todos.
Beijos na alma.

25 de jul de 2011

voltando!







Sim, ainda me restam ideias e ideais.
Explico aos meus queridos leitores e seguidores, que por vezes preciso desse intante de ausência.
Preciso de momentos que interação comigo mesmo. Por vezes a ideia é superar meus próprios limites, outras vezes a ideia é repensar conceitos, e outras ainda, é para deixar fecharem feridas.

Não existe uma regra, ou um tempo determinado.
E nem acho que se faça necessário somente comigo. Mas enfim, ca estou. De volta, outra vez.

E como sempre a vida vem acontecendo e pronto...
Esse ultimo “afastar” foi somente para curar tristezas.  Como contei em meu ultimo post, eu realmente fiquei ferida e dolorida, por situações que aconteceram. Mas que também passaram.
Novamente se faz necessário uma analise e seleção quase natural de todas as coisas.

Não escondo, que ainda me sinto triste... não escondo que ainda dói...
Dificil mesmo é acreditar e ver que fora tempo perdido, carinho e amor doados ao nada... então, se eu disser que já não doi; vou ter que admitir a mentira.
Aprendi ao longo do tempo que nao posso ser falsa com meus próprios sentimentos. Se sinto, sinto e pronto. Se não sinto, melhor pra mim...

E sinto... E vejo... E sofro...
E passa!
E me levanto!
E recomeço!

Devo dar atualizações também. E ca estão:
Minha mãe se recuperou! Alias, vai fazer um tratamento continuo, por causa do câncer no sistema linfático. Mas se recuperou!
Forte, grande, inteira. E isso me fez tão contente.
Engraçado como as lembranças de hospital parecem agora tão distantes...

Os filhos? Que dizer?
Puro encanto. Eles me fazem feliz. A parceria esta total, a amizade, a intimidade.
É tao fascinante pra mim... chega a ser poético.
E mesmo quando preciso ser so mãe, ou tenho que dar mts broncas, é amoroso.

Os amigos, enfim...
Os bons, os de verdade, sempre lá. Me alegrando, me apoiando e me acordando para a vida quando necessário.
A maior das verdades é que amigos, são a família que escolhemos!!

Agora despertei novamente. Assim meio devagar, me espreguiçando feito gato. 
Abrindo os olhos para ver e entender a luz da vida.
De novo e sempre, depois de um tempo de hibernação sentimental, um acordar para a vida que clama, que urge, que acontece e nada mais.
Renovada.
Com ideias e planos. E metas. Indo atras, vivendo de novo e não mais sobrevivendo apenas.
Amor à todos.

Beijos na alma.


21 de jun de 2011

Amigos esses, amigos aqueles....





Andei um pouco sumida desse espaço. Os motivos foram validos pra mim, bem validos... E me fizeram crescer um tantinho mais e me fizeram mais exigente comigo mesmo e minhas escolhas.
Silenciar se faz tão necessário certas vezes, que nem tem explicações.

De uns tempos pra cá as coisas e as pessoas começaram a mudar. Algumas mudanças boas e outras nem tanto... E algumas dessas mudanças, alheias, formaram marcas indeléveis em mim.

Aprendi, pelos caminhos percorridos, que não ha perdas consideráveis, mas movimentos. E também sem rótulos de bons ou ruins, somente movimentos.
Nesse tempo que passou e eu fiquei em silencio, foi realmente "velando" o falecimento de algumas amizades. Amigos que se foram e permanecem vivos, e nem ha como falar dessa dor que me causou.

Vi pessoas tão queridas, tão amadas, morrendo em meus sentimentos, enquanto permaneciam vivas, fora do meu coração... A exclusão sentencia o fim. Ver-me deletada da vida de quem tanto amei, e a quem dediquei o melhor dos meus sentimentos, mesmo que isso não fosse estar de acordo com ideias e conceitos, doeu.
Confesso que chorei!
Chorei a distância, que eu não queria. Chorei o desprezo do amor, do carinho dedicado. Chorei a incompreensão do tempo e espaço, e chorei mesmo a falta de noticias. Chorei de saudade.
Chorei a morte da amizade.

Nesse último final de semana eu conversei muito com o Leão sobre a dorzinha que ainda me acompanhava pela a ausência dos que me eram tão caros.
E na sua sutileza de ser, o Leão me fez enxergar uma verdade simples e irrefutável.
Eu deixara de ser importante, para esses!

Quando a gente gosta demais de alguém arrumamos desculpas para suas falhas...Eu não fui diferente nisso...
Por isso a tristeza que veio me perseguindo, me enchendo de mim mesma, e de todo o resto. Até agora!

Esse texto tem por finalidade: Desabafar essa saudade, desovar essa magoa, gastar essa dor.

Engraçado que quando me vi esquecida por quem eu tanto queria bem, e ouvia o mesmo em resposta. Eu achei mesmo que a culpa era minha!
Mandei e-mail, mensagem, expliquei intenções e formas de falar...
Minha resposta? o silêncio sepulcral.
Minha constatação: Deixei de ser importante.
Resultado: Deixei de tentar!!

Eu entendo que a vida nos leva pra lados distintos muitas vezes, e o fato de sermos amigos, ou gostarmos de alguém não nos mantem, obrigatoriamente, ao seu lado o tempo todo. Em contra partida, na era tecnológica em que vivemos, a falta de contato é ridícula e só mostra falta de interesse.
Com tantas redes sociais, vida tão virtual quanto real... O contato não é mantido, simplesmente por não haver  a necessidade dele.
Ai veio a era do delete!
Não se fala mais de problemas... deleta-se simplesmente.
E não é curioso que isso tenha o mesmo peso do desprezo?? Para mim o delete virou o recurso do fim de relacionamentos de qualquer tipo.
E nada santa, já deletei tanto quanto fui deletada.
Eu tinha consciência, que quando cliquei em deletar, estava enterrando aquela pretensa amizade morta e falsa.

O Leão tem ainda outra teoria imensamente interessante, e pior... incontestável.
Quando alguém que você gosta, é mal caráter, escroto, ou algo equivalente, com todos a sua volta, fatidicamente será com você também em algum momento...
Caramba!!!
Não é que é mesmo???!!!

Bom, gastei!!
Eu precisava dizer mais uma vez, ainda que não fosse ouvida e minha resposta seja o silencio:

 - Você me magoou pra caralho!!!! Eu esperava mais de você. esperava pelo menos maturidade. Você me disse que tinha crescido, que a vida tinha ensinado... Ah, minha querida amizade falecida... eu acreditei em você. Mas você era uma farsa do que queria.
Sabe, lamento dizer que você não foi a unica. Outras pessoas também me mostraram que eu havia deixado de ser importante. Algumas pessoas deixaram de ser importantes pra mim também ao longo da vida.
Acho que é assim que tem que ser.

Sentimentos, perfis, e palavras hora ditas, hora deletadas. Finalizo!


Só mais duas frases feitas e esta dito: 
" sempre achamos tempo para aqueles que julgamos importantes" 
"já separei meus diamantes, cacos de vidro não me enganam, nem me ferem mais."


Aos amigos, verdadeiros que ainda sentem e geram importancia. Estou sempre aqui!!
Aos que se foram, obrigada pela passagem.


Amor à todos!
Beijos na alma

20 de mai de 2011

Hoje só por hoje...






Hoje estou com uma sensação estranha e indefinida no peito
Ontem tive uma briga com meu filho de 15 anos, e de repente um peso muito grande fez parte de mim.

E nessa mesma discussão, senti uma das maiores emoções de toda minha vida!
Meu filho olhou pra mim, bem no fundo dos meus olhos e me disse: “Mãe, você é a mulher mais forte que eu conheço! Não é pra qualquer uma peitar o mundo, criar três filhos sozinha, dar bronca e carinho com a mesma intensidade..."
Chorei muito.

Às vezes fica dentro de mim, uma sensação de fracasso tão grande, ou de falta...
Parece que não dou conta para os diversos papeis que a vida me deu.
E ouvir meu filho falando assim, no calor de uma discussão, onde eu usava deliberadamente meus direitos e poderes de mãe; Foi uma recompensa para os meus dias de stress e para minhas duvidas sobre minha própria capacidade.

Eu não sei por que, mas tenho a impressão que em alguns momentos a vida vem sacudindo tudo só pra fazer a gente ver que pode um pouco mais.
Eu tenho me sentido meio cansada nesta ultima semana.
São tantas pendências pra finalizar, e me sinto tão sem forças. Ontem ao menos, eu pude ver que estou indo pelo caminho certo.

Às vezes, como agora, tenho vontade de fugir pra algum lugar lá bem escondidinho do mundo, e ficar lá um pouco. Escondida disso que se chama vida, disso que se chama viver.
E os papéis?
E todos os papéis que nos cabem fazer?
Não são poucas as vezes que tenho medo de não conseguir...

Hoje, não só pela briga, mas pelo acumulo de sentimentos na garganta, que já não se vertem em lágrimas com facilidade. Eu me sinto imensamente sozinha.
Com aquela estranha sensação de não estou na mesmo dimensão de mais ninguém, e estar tão só é dolorido.

Preciso despir minha alma, mesmo com o frio a domina.
Mas hoje, só por hoje, me deixo entristecer...


Amor à todos

Beijos na alma

17 de mai de 2011

Agora 36!!




Quando deu meia noite de sabado e então esse sabado virou domingo, meu Leão me deu um beijo carinhoso, um abraço apertado e me disse "Parabéns!".

Estava confirmado.
Meia noite e um. Eu tinha 36!!

Curiosa a reflexão que se faz, mesmo involuntariamente, em algumas datas...

Pensei em como havia sido meu ultimo ano pessoal, sua evolução e sua revolução.
Inevitável, pensar nas mudanças...
De emprego, de profissão, de idéias e conceitos, sentimentos e metas.
Nas mudanças da vida... A doença da minha mãe, a briga com meu pai, o afastamento da família, e um reatar de relações distantes e doloridas.
O tempo mal acontecido, mas compreendido , para amar, para ver os filhos...
O cansaço infinito de tantas labutas, de tantas lágrimas, e também de alegrias, pelo sabor de me ver amada. tão amada que mal podia crer!

Pensei em auto-conhecimento, que veio com alguma dor e uma certa tristeza, mas floresceu em tudo o que sou e gosto tanto de ser!
Me lembrei dos amigos queridos que ficaram pelo caminho, alguns por opção, outros pela falta dela... e alguns sem explicação.
Comemorei o reencontro dos velhos amigos, Sheine ( minha doce ilusão ), Erika ( Kika) que nem tem definição e se faz tão necessário na minha vida.

Celebrei com intensidade o encontro de novas almas. Nix, Angel D'mont, Danielli.

Errei muito... tanto que nem lembrei de tudo, mas acertei também, e acertei bonito!!!

Foram tantos os pensamentos... Mas apenas uma a certeza.

Valeu a pena!!!!

Aprendi tanto nesta jornada. Fiquei grande, fiquei corajosa, até me deixei ser um tanto pretenciosa. Um pouco egoísta talvez. Desta que gostam de cuidar de si, que se permitem a felicidade.

Quantos as perdas... prefiro chamar de movimentos.
Cada um faz seu próprio movimento. Eu escolhi o meu, e é seguir nesta caminhada.
Aprendi que ajuda ofertada nem sempre é valida. No entanto continuo aqui!

36 sim!! Com muito orgulho!!!
Com o coração apaixonado, com a mente cheia de ideias, com carinho recebido e ofertado e com o corpo pulsando vida em cada poro.


Amor à todos
Beijos na Alma.

18 de abr de 2011

Luxuria!




Eu te preciso um pouco mais.
Por que a saudade ( já dizia Clarice) é o sentimento mais urgente que existe!
Eu te anseio um pouco mais.
Por que minha alma, assim como a pele, esta tatuada de você!
E esse desejo é fonte inesgotável do meu prazer.

Teus braços, que me prendem em abraços.
Tua boca que sufoca minha boca.
Tua língua, que me deixa louca...

E eu te seduzo um pouco mais.
Entre minhas mãos, entre minhas pernas.
No emaranhado dos meus cabelos nos teus dedos...
Na volúpia, na libertinagem na liberdade dos nossos corpos,
que escorre por todos os poros.

Eu te grito um pouco mais.
Te encho os ouvidos com meus suspiros,
com o sussurro das tuas caricias,
com gemidos, pela prazer com as tuas malicias...

E eu te contenho um pouco mais.
Quando abafas o som dos meus toques,
quando te vejo contorcer pelo o sentir da minha língua...
e quando gritas pelo prazer desavisado, procurado, quase torturado pela espera,
do teu gozo.




Amor a todos
Beijos na alma

4 de abr de 2011

Ao Cisne, um bater de asas...



Não é engraçado como a vida vai nos ensinando sobre nós mesmo?...

Há um tempo atrás, e ja te falei sobre isso, minha vida entrou em uma completa derrocada. Mas a pior parte dessa "queda" foi olhar pra mim e não ver, absolutamente, NADA!! Foi assustador...
Notei, frustrada que eu simplesmente não existia.
Depois de um casamento longo e castrador, um pseudo casamento que me rendeu dias de felicidades e anos de terapia e um relacionamento que me fez parte de uma vasta coleção de "ex", eu estava destruída.
Eu tinha dado o melhor que podia, e mesmo assim me sentia como o pior imaginável.
Assim como você, eu me sentia errada, perdida, confusa e desinteressante;
Ah, cisne e como é difícil esse momento!
E um dia, quando não havia mais nada, também EU não havia, EU não era, EU não existia.

Sabe esse gosto azedo na boca? e essa lágrima que fica presa na garganta??? Pois é, minha cara, conheço bem.
E foi quando veio a pior parte!
Eu precisei me encontrar, e é aquilo que você chama de inferno!
Descobri, alias, que o inferno não é fora, mas sim dentro de nós, são esses os piores momentos, é assim que que vai acontecendo a  transformação.
E não vou te enganar... dói mesmo, na hora em que você aceita essas mudanças as penas começam a sua troca, e a dor vai surgindo, um pouco pela penugem que cai, um pouco pela verdade que aparece, um pouco pelo medo que deixa de ser refugio...

Descobrir-se, Cisne, não é não sentir dor, não derramar lágrimas... é faze-lo, senti-lo mas acima de tudo, sabe-lo!!
Quando isso acontece, você  descobre que aquela velha "utopia", é na verdade a realidade de viver.
Intensidade e tempo, juntos e sem dor!


Estou sempre aqui, com minhas penas a balançar, aguardando que te cresçam as asas.

Te amo muito!
E, cada vez que te vejo, vejo a minha parte mais bonita!!


Amor a todos

Beijos na alma.

31 de mar de 2011

Que remédio????





Alguns dias são mais difíceis que outros...

Como se trata ingratidão, falta de respeito, de educação e de consideração?

Não se trata!!
E enche o saco!!

Eu arriscaria:
Uma dose de bom senso, um pitada de educação e uma colherada de maturidade 3x ao dia, para o resto da vida.
Pode ser que ajude. Ou não...
Afinal há casos e casos.

Mas não sou médica, não medico corpos, nem mentes nem almas.
As vezes me arrisco em palavras... e só.
Da minha parte, vou seguindo meu caminho. Aumento o som dos meus fones de ouvido e checo a bina do celular. Me reservo ao direto de não me contaminar.

Como disse Martha Medeiros:
"Assim, como não se deve misturar bebidas, misturar pessoas pode dar ressaca."

É isso aí. Ressaquei!!



Volto logo, pra falar de outras coisas.

Amor à todos

Beijos na alma.

21 de mar de 2011

De repente adulto.




Eu estava pensando, hoje, na vida como ela é...
Há alguns dias eu conversava com o Leão, que me contava como uma de suas amigas, ainda bem jovem (24 anos), ja tinha conseguido tudo o que tinha sonhado. E, como sua própria vida, no mesmo espaço de tempo não tinha sido aproveitada para as realizações que almejava.
(Devo dizer que discordo, afinal no tempo que tenho na sua vida, tenho visto grandes progressos!!!)

Pensei, claro, em minha própria vida.
Aos 35, quase 36, apenas de longe é um vislumbre do que sonhei para essa época.
Culpa minha, certamente!!
Afinal, fui eu e somente eu, que não aproveitei as oportunidades que vieram.
Os motivos, aos meus olhos, não faltaram... me deixei levar por um coração apaixonado.
Então um belo dia acordei, e havia acontecido... rapido demais pra eu notar, devagar demais pra surtir efeito imediato.
Lá estava e não havia como voltar.

Eu era adulta!

Começei a sonhar coisas de adulto e viver coisas de adulto, aprender coisas de adulto... e deixei outras tantas chances passarem. Dessa vez havia um certo medo, um certo receio de errar, pois a partir dali tudo parecia, terrivelmente, sem volta.
E eu gosto de mudanças, mas confesso que sou um tanto resistente à elas.
Não tenho as melhores reações do mundo, e se me frustro, perco logo o interesse.

Mas e aí? Quando somos adultos, ficamos como?

Descobri durante esse tempo, e não sem dor e lágrimas, que fui bem em minhas escolhas, e muitas vezes fui bem nas minhas reações, já que não fora uma escolha, mas apenas um impulso, que me levara a tomar decisões, e traçar metas e correr atrás de objetivos.
Algumas delas não me deram as realizações que eu almejava.
Algumas nem mesmo me deram muita alegria.
Mas em geral, me deram muito aprendizado!

Hoje, mais velha, e mais adulta ainda, sou obrigada a traçar novas metas. Recomeçar a caminhada, cada vez que os obstáculos me derrubam.
Hoje, aprendi a lidar com a frustração, mas ainda perco o interesse, e  acima de tudo aprendi a não temer o recomeço, mas ao contrário, amá-lo!
Pois ele é também uma nova e grandiosa chance de mudar dentro de mim, o que não esta de acordo com os novos "quereres".

Hoje, me vejo realizando lá aos 40, os sonhos dos 35. Mas  não me envergonho.
Prefiro pensar que me demorei um pouco, somente para ter maior conhecimento e habilidade para aproveitar o que vier.
E aprendi, e essa é maior lição de todas, a me perdoar!!
Esse foi sem duvida o passo mais dificil de dar.
 Agora, vou em frente, é a unica opção pra quem nao deseja se ver derrotado.
Nunca é tarde pra quem corre atras com fé, com coragem, com verdade em si mesmo..


Para pensar:
À Thais Nieri: Ainda há tempo pra você, aliás, há uma vida inteira pela frente, e é você quem decide o que fazer e como vivê-la!
Assuma seus atos, assuma seus erros, perdoe-se, transmute-se e recomeçe!!

À Ana ( Raio ): O que posso dizer? Parabéns!!! Por seguir em frente, e fazer dos obstáculos, razões para continuar!

Ao Leão: Mesmo quando a dor, parece que vai quebrar tudo o que somos por dentro, vai sempre haver um caco que ficara maior, esse caco é nossa coragem em continuar.
Sei como é, por que sinto como é!
Também sei que nunca é tarde demais, quando queremos de verdade!
E sempre estarei bem aqui!!

A todos:
Amor e muito amor

Beijos na alma.

16 de mar de 2011

Avaliando.




A vida tem acontecido, simplesmente.
Nada muito emocionante, nada pouco emocionante.
De dentro de mim e de longe do resto; volto a obsevar com interesse, tudo a minha volta.

Minha mãe está estável. É um momento de tranquilidade no meio da turbulência.
Ainda me assusto em pensar que isso possa se prolongar. Algumas vezes acho que não tenho mais forças...
Mas quando o dia nasce eu me levanto novamente.

Mas sempre há alguns descontentamentos.
Meu trabalho me deixa descontente. Haviam tantas expectativas quando comecei... Mas estando aqui dentro, vejo que eram meras expectativas de uma novidade, sem fundamentos reais.
Na prática, tudo verteu-se em um pouco de frustração. Isso tem me cansado.

E, como não sei viver sem observar, tenho vistos os meus amigos se perderem da realidade dentro de suas consciencias inconscientes.

Vejo lágrimas não de arrependimento por seus erros, mas por ter menos do que havia antes.
É difícil mesmo assumir erros.
Vejo omissões de contatos e diálogos em cima de promessas de amor.
Vejo, vezes incontáveis, um ser "colecionar" outro como troféu. isso é repugnante! Ofensivo, pra mim!
Vejo reclamações de onde deveriam vir graças aos deuses.
Vejo uma insanidade de estar e ter alguém que sempre acaba em lágrimas, sofrimento e rancor...

Sufocam-se em carências e desespero.

É triste!
Deprime.

Por sorte observo alguns que dão a volta por cima, assumem seus erros, seus atos, descobrem quem são. Aprendem com a dor.
Mas na marca de 5 pra 1...
Não digo que seja mais fácil encarar realidades do que somos, sentimos ou fazemos.
Na verdade, arrisco dizer que é muito mais dolorido. Mas sempre compensa um pouco mais no final de tudo.

Fico vendo pessoas que preferem a fuga de tudo o que não lhes agrada.
Fuga de sentimentos, ignorância da verdade, omissões de sinceridade, exclusão dos gestos.

Me deixo levar pela minha, nada doce, realidade. Prefiro assim!
Me orgulho das cicatrizes que a vida me deu. Foram marcas sofridas, doloridas, mas que me mostraram que posso aprender com tudo a minha volta e ser um pouco melhor a cada dia.

Olho em volta, assumindo minhas frustrações e meus descontentamentos, assumindo meus erros e arcando com suas consequências, comemorando meus acerto, brindando minhas vitórias...
Fico feliz!

De tudo nessa vida há três coisas que NÃO sou!
Não sou falsa.
Não sou mentirosa.
Não sou covarde

Não sou fake de qualquer um, nem de mim mesma!!



Um brinde às pessoas que se assumem em tudo o que sentem, pensam e/ou fazem.

Amor à todos
Beijos na alma

9 de mar de 2011

Mais um desnudar de alma...








A semana passada ( ainda bem que passou) foi difícil e dolorida!
Me dei um tempo no carnaval, era necessário. Ficar um pouco com os meus, sem grandes alardes.
Namorar um pouco, curtir os filhos, brincar com o cachorro, essas coisas que se fazem essenciais na vida da gente!

Mas agora a vida urge. Grita, reclama que lhe seja dada atenção.
Ontem estive conversando com o Leão... Curioso como de uma hora pra outra a vida perde um pouco o sentido, ou será que somos nós que ficamos nonsenses?
A gente passa a não ter a vontade gloriosa de realizar as coisas. Pior é essa vontade tornar-se um fato, um ato! E nada ser mudado.
Seja por um amor quebrado, um sonho desfeito, uma decepção angariada...

É meio assustador e mesmo frustrante, que pessoas que saibam tanto de si, e que saibam onde querem chegar, e mesmo como chegar, percam o interesse e a grande vontade de dar o próximo passo, seja ele para onde for...
E me vi nessa classe, me assusto!

Necessito recuperar os encantos perdidos nesses últimos tempos.
Não os meus próprios encantos, mas os encantos pela vida em si, que tanto aprecio.
Por vezes o que mais necessito é o silêncio de palavras, anseio que gestos sejam vistos, que sejam sentidos, e não declarados.
Mas é chegada a hora de sentar-se, só, analisar o caminho e começar a caminhada!


Percebi que há tanto em mim que não tenho apreciado...
Há tanto para ser modificado.
E mal sei por onde começar... As vezes me perco, por que quero fazer tanta coisa, e tem muita coisa a ser feita... e como não consigo, me vem a sensação fatídica de frustração.
Esses dias tendo vivido com minha mãe entre sessões de quimio, hospitais, internações e altas, e tudo o mais... me ponho a pensar na vida mais de perto, mais como ela é.
É indizível, até aterrador essa eminencia de morte na vida da gente, especialmente quando não é com a gente!
Obrigatoriamente me ponho a pensar em tantas faces que tenho...
Filha, mãe, irmã, mulher, amiga...
Será que tenho feito as coisas que preciso pra com os que eu amo? Será que tem sido o bastante? Será que tenho falhado?
É curioso, como, com tanta vida pela frente, seja a possibilidade de morte, que mais nos faz pensar em vida e como a vivemos...

Para mim, tem sido inevitável, certas analises.
Uma vez li em algum lugar as 10 coisas que se precisa fazer antes de morrer...
Nunca pensei em uma lista de coisas pra fazer antes de morrer, mas não deixa de ser interessante pensar em quantas realizações eu quero fazer...E acabei por pensar em uma lista própria.
Embora hoje, exatamente hoje, eu só queira ver os dias se realizarem um de cada vez!



Amor à todos

Beijos na alma.

3 de mar de 2011

Atualizando

(Imagem by Google)

Sumi de novo...

Estou me débito com todos meus leitores e amigos...
Ai, de repente, (do jeito que a vida é comigo) tudo acontece... Ontem recebi um texto da Thais Stella, do "dia do coringa",escrito pelo Rubem Braga com o titulo "Ao respeitável publico".
Me toquei que era uma indireta.
Então aqui estou contando de tudo um pouco.

Só da pra justificar minha distância, como um ( nada singelo) TA FODA!!

Vou fazer um resumo retrospectivo, pra não parecer que estou falando sem muito nexo.

No final de 2010, minha vida era sinonimo de loucura. Estava trabalhando 14 horas por dia e passando noites sentada na cadeira de plástico do hospital, onde minha mãe estava internada.
Hospital publico, quarto compartilhado... O acompanhante dorme como? Não dorme!!! Cochila sentado em uma cadeira de plástico.
Antes do Natal, minha mãe voltou pra graça, e eu fui para um  mundo além mundo, dentro de mim, mas fora do universo.
O cansaço físico, mental e espiritual me abateu!
Então, aves raras, essa "fortaleza" que vos escreve, tombou um pouquinho.

Muitas lágrimas depois, resolvi me dar um tempo. Nada de nada, nem visitas, nem saídas, badalações fora do cardápio... A ideia era ficar só comigo mesma.
Me deixei, então, sentir todo o cansaço dos dias vividos por osmose, deixei tristeza penderem pelos dias vividos em catarse.
Chorei em voz alta minhas fraquezas e frustrações e silenciei.
Nunca estive tão só.
E por isso precisei desse momento.
Como não havia muitos com quem falar, preciso deixar minha gratidão ao que estavam lá, e me ouviram, quando eu simplesmente não falei nada... Anselmo, Renata, Sheine.

Confesso, que mesmo agora, um tempo depois tudo continua difícil e dolorido. Esta vida de hospital é mesmo ingrato ao ser humano que anseia viver plenamente.
As vezes penso que o câncer vai vencer... E sinto muita raiva da minha impotência.
Outras vezes acho que minha mãe vai superar tudo e todos.
E, há ainda os momentos, em que penso que a única que não vai aguentar sou eu...

Toda aquela ânsia pelo ano novo continua em mim. Admito, que de vez em quando um desanimo tenta se fazer companheiro. Mas eu continuo em pé.
Outro dia num surto de desespero, após outra ida ao hospital, falei para um amigo, que ninguém deveria sofrer assim, melhor seria que tudo passasse de uma vez.
Não sei se me arrependi da frase, ou se passei a crer nela, e isso me deixa entristecida, com a alma trincada de dor, por não poder fazer nada de pratico.

Olho minha mãe e vejo nela o resultado da doença.
Aquela mulher forte, grande, com vasta cabeleira, alta de voz potente, tornou-se uma fragilissima senhora, que balbucia palavras que precisam de atenção para serem ouvidas, ossos a mostra sob a pele, e agora ela é do meu tamanha, se não menor que eu.
E ainda, assim, é a pessoa mais forte que já vi.

Eu sei que as vezes ela chora escondida, mas não perde a fé.
Quer a cura, mas pede para que seja feito apenas o melhor.
E mesmo sendo ela a acamada, costuma dizer que vamos vê-la dançar um xaxado, após comer um prato enorme de feijoada.

Meu carinho, minha admiração, meu amor cresceram tanto, ela nem pode saber.
E mesmo após todas as magoas do ultimo  ano, só quero vê-la reclamar outra vez da bagunça que vê por ai.

É... contar como isso fica dentro de mim é uma das coisas mais difíceis que já tentei, Acho que por isso, também, fiquei um pouco longe de desnudar minha alma.
E como o somatismo vive em mim, febre, alergia hepidermica, queda de cabelo, menstruação desregulada, ataque de choro, se tornaram formas de extravasar.

De qualquer modo, sendo eu uma daquelas pessoas que irritam com sua positividade diante de tudo. Vou aprendendo as lições, nada fáceis, que vão sendo distribuídas pelo caminho.
Continuo com metas traçadas, planos em execução e o coração cheio de esperança, que realmente, é a ultima que morre!
Vou revendo meus conceitos, meus limites, tendo a certeza dos verdadeiros amigos, recriando ideais e descobrindo minha própria força, ou a falta dela.

E vou deixando meus obrigadas...

E só tenho a dizer:

A Rita: Sem você, eu não conseguiria!!!
Ao Anselmo e Eder: Vocês são do caralho!!! Os mais fiéis escudeiros do mundo.
A Renata e Sheine: Cada palavra vira musica, quando dita por vocês.
Aos filhos: Cada abraço, cada xícara de café, cada cafuné na cabeça me dá nova vida.
A Lidi ( minha irmã mais nova): Quando eu crescer, quero ser como você!!



Amor à todos

Beijos na alma

Saudades daqui

Sei que ja faz um tempo que não venho por aqui, mas hj apareci.
Hoje, vim so agradecer ao selinho dado pela Renatinha, do "meu maior projero: ser mae" ( link ja sabem.... ai do lado) e passar adiante pra aqueles blogs que merecem!!!


Fiquei muito contete, e grata, em saber que meu blog merece elogio de alguém tão especial pra mim!!!


Então, existem algumas regrinhas: Indicar 15 outros blog e avisar e responder algumas coisas pessoais:
Nome: Mariah
Uma música: Iguais (Isabella Taviani)
Humor: sempre em alto, mesmo quando esta em baixa.
Uma cor: azul
Uma estação: Outono
Como prefere viajar: avião com certeza.
Um seriado: Eu, a patroa e as crianças, Dr House.
Frase e/ou palavra dita por vc: "nao sou bau"

O que achou do selo: Adorei!!! Uma graça.


15 blog's:  Aqui complica, tenho uns mil pra indicar....

Ai vai:
Entranhas vermelhas
Para Francisco
Bicho Solto
Mamiferas
Obolo Sanie
Blog das mil ideias
Mais Sumaya
Hoje eu vou assim
O dia do coringa ( que precisa de atualização, rsrs)
Pensametos em letras e cores
Um pouco de Ni
Fina flor ( off line, mas sempre merecedor!!!!)
Dedinhos de moça
Diario da Thais
Etcetera

Todos com link ai do lado.

Só passar adiante!!!


Agora deixo beijos na alma.