Translate

21 de mar de 2011

De repente adulto.




Eu estava pensando, hoje, na vida como ela é...
Há alguns dias eu conversava com o Leão, que me contava como uma de suas amigas, ainda bem jovem (24 anos), ja tinha conseguido tudo o que tinha sonhado. E, como sua própria vida, no mesmo espaço de tempo não tinha sido aproveitada para as realizações que almejava.
(Devo dizer que discordo, afinal no tempo que tenho na sua vida, tenho visto grandes progressos!!!)

Pensei, claro, em minha própria vida.
Aos 35, quase 36, apenas de longe é um vislumbre do que sonhei para essa época.
Culpa minha, certamente!!
Afinal, fui eu e somente eu, que não aproveitei as oportunidades que vieram.
Os motivos, aos meus olhos, não faltaram... me deixei levar por um coração apaixonado.
Então um belo dia acordei, e havia acontecido... rapido demais pra eu notar, devagar demais pra surtir efeito imediato.
Lá estava e não havia como voltar.

Eu era adulta!

Começei a sonhar coisas de adulto e viver coisas de adulto, aprender coisas de adulto... e deixei outras tantas chances passarem. Dessa vez havia um certo medo, um certo receio de errar, pois a partir dali tudo parecia, terrivelmente, sem volta.
E eu gosto de mudanças, mas confesso que sou um tanto resistente à elas.
Não tenho as melhores reações do mundo, e se me frustro, perco logo o interesse.

Mas e aí? Quando somos adultos, ficamos como?

Descobri durante esse tempo, e não sem dor e lágrimas, que fui bem em minhas escolhas, e muitas vezes fui bem nas minhas reações, já que não fora uma escolha, mas apenas um impulso, que me levara a tomar decisões, e traçar metas e correr atrás de objetivos.
Algumas delas não me deram as realizações que eu almejava.
Algumas nem mesmo me deram muita alegria.
Mas em geral, me deram muito aprendizado!

Hoje, mais velha, e mais adulta ainda, sou obrigada a traçar novas metas. Recomeçar a caminhada, cada vez que os obstáculos me derrubam.
Hoje, aprendi a lidar com a frustração, mas ainda perco o interesse, e  acima de tudo aprendi a não temer o recomeço, mas ao contrário, amá-lo!
Pois ele é também uma nova e grandiosa chance de mudar dentro de mim, o que não esta de acordo com os novos "quereres".

Hoje, me vejo realizando lá aos 40, os sonhos dos 35. Mas  não me envergonho.
Prefiro pensar que me demorei um pouco, somente para ter maior conhecimento e habilidade para aproveitar o que vier.
E aprendi, e essa é maior lição de todas, a me perdoar!!
Esse foi sem duvida o passo mais dificil de dar.
 Agora, vou em frente, é a unica opção pra quem nao deseja se ver derrotado.
Nunca é tarde pra quem corre atras com fé, com coragem, com verdade em si mesmo..


Para pensar:
À Thais Nieri: Ainda há tempo pra você, aliás, há uma vida inteira pela frente, e é você quem decide o que fazer e como vivê-la!
Assuma seus atos, assuma seus erros, perdoe-se, transmute-se e recomeçe!!

À Ana ( Raio ): O que posso dizer? Parabéns!!! Por seguir em frente, e fazer dos obstáculos, razões para continuar!

Ao Leão: Mesmo quando a dor, parece que vai quebrar tudo o que somos por dentro, vai sempre haver um caco que ficara maior, esse caco é nossa coragem em continuar.
Sei como é, por que sinto como é!
Também sei que nunca é tarde demais, quando queremos de verdade!
E sempre estarei bem aqui!!

A todos:
Amor e muito amor

Beijos na alma.

4 comentários:

Anônimo disse...

Ei que bonitinha, ja ta adulta?
E ser adulta bem que doi um cadim, mas quando a gente cresce e fica assim, maravilhosa, como voce, vale a pena!!

Parabéns de novo!!

Te amo, bruxa linda!!

Sheine

Anônimo disse...

AMEI, MAS MINHA OPINIAO JA BATEU.
PASSEI PRA DIZER QUE TE AMO, TE LEIO SEMPRE, E SEMPRE TO APRENDENDO ALGUMA COISA COM VC FALANDO DAI.

SAUDADES DE NARNIA COM VC...

MANDY

Meu Maior Projeto disse...

Tanta coisa acontecendo, tanta saudade de vc e um dia super atribulado, uma vontade enorme de ler seu blog, especialmente hoje e aí me deparo com você mais do que lendo meu pensamento, escrevendo palavras dele.
Possos ser sua maga malabares, mas isso não é á toa.
Amo vc e admiro vc, talvez vc ainda não tenha chegado onde gostaria, mas já chegou onde muitos nunca chegarão.

Te amo.

Rai disse...

Eu acredito que temos exatamente aquilo que precisamos. Claro que há um pouco de acomodação, pois depois de adultos, fica cada vez mais difícil ser sucetível à mudanças.