Translate

31 de mar de 2011

Que remédio????





Alguns dias são mais difíceis que outros...

Como se trata ingratidão, falta de respeito, de educação e de consideração?

Não se trata!!
E enche o saco!!

Eu arriscaria:
Uma dose de bom senso, um pitada de educação e uma colherada de maturidade 3x ao dia, para o resto da vida.
Pode ser que ajude. Ou não...
Afinal há casos e casos.

Mas não sou médica, não medico corpos, nem mentes nem almas.
As vezes me arrisco em palavras... e só.
Da minha parte, vou seguindo meu caminho. Aumento o som dos meus fones de ouvido e checo a bina do celular. Me reservo ao direto de não me contaminar.

Como disse Martha Medeiros:
"Assim, como não se deve misturar bebidas, misturar pessoas pode dar ressaca."

É isso aí. Ressaquei!!



Volto logo, pra falar de outras coisas.

Amor à todos

Beijos na alma.

21 de mar de 2011

De repente adulto.




Eu estava pensando, hoje, na vida como ela é...
Há alguns dias eu conversava com o Leão, que me contava como uma de suas amigas, ainda bem jovem (24 anos), ja tinha conseguido tudo o que tinha sonhado. E, como sua própria vida, no mesmo espaço de tempo não tinha sido aproveitada para as realizações que almejava.
(Devo dizer que discordo, afinal no tempo que tenho na sua vida, tenho visto grandes progressos!!!)

Pensei, claro, em minha própria vida.
Aos 35, quase 36, apenas de longe é um vislumbre do que sonhei para essa época.
Culpa minha, certamente!!
Afinal, fui eu e somente eu, que não aproveitei as oportunidades que vieram.
Os motivos, aos meus olhos, não faltaram... me deixei levar por um coração apaixonado.
Então um belo dia acordei, e havia acontecido... rapido demais pra eu notar, devagar demais pra surtir efeito imediato.
Lá estava e não havia como voltar.

Eu era adulta!

Começei a sonhar coisas de adulto e viver coisas de adulto, aprender coisas de adulto... e deixei outras tantas chances passarem. Dessa vez havia um certo medo, um certo receio de errar, pois a partir dali tudo parecia, terrivelmente, sem volta.
E eu gosto de mudanças, mas confesso que sou um tanto resistente à elas.
Não tenho as melhores reações do mundo, e se me frustro, perco logo o interesse.

Mas e aí? Quando somos adultos, ficamos como?

Descobri durante esse tempo, e não sem dor e lágrimas, que fui bem em minhas escolhas, e muitas vezes fui bem nas minhas reações, já que não fora uma escolha, mas apenas um impulso, que me levara a tomar decisões, e traçar metas e correr atrás de objetivos.
Algumas delas não me deram as realizações que eu almejava.
Algumas nem mesmo me deram muita alegria.
Mas em geral, me deram muito aprendizado!

Hoje, mais velha, e mais adulta ainda, sou obrigada a traçar novas metas. Recomeçar a caminhada, cada vez que os obstáculos me derrubam.
Hoje, aprendi a lidar com a frustração, mas ainda perco o interesse, e  acima de tudo aprendi a não temer o recomeço, mas ao contrário, amá-lo!
Pois ele é também uma nova e grandiosa chance de mudar dentro de mim, o que não esta de acordo com os novos "quereres".

Hoje, me vejo realizando lá aos 40, os sonhos dos 35. Mas  não me envergonho.
Prefiro pensar que me demorei um pouco, somente para ter maior conhecimento e habilidade para aproveitar o que vier.
E aprendi, e essa é maior lição de todas, a me perdoar!!
Esse foi sem duvida o passo mais dificil de dar.
 Agora, vou em frente, é a unica opção pra quem nao deseja se ver derrotado.
Nunca é tarde pra quem corre atras com fé, com coragem, com verdade em si mesmo..


Para pensar:
À Thais Nieri: Ainda há tempo pra você, aliás, há uma vida inteira pela frente, e é você quem decide o que fazer e como vivê-la!
Assuma seus atos, assuma seus erros, perdoe-se, transmute-se e recomeçe!!

À Ana ( Raio ): O que posso dizer? Parabéns!!! Por seguir em frente, e fazer dos obstáculos, razões para continuar!

Ao Leão: Mesmo quando a dor, parece que vai quebrar tudo o que somos por dentro, vai sempre haver um caco que ficara maior, esse caco é nossa coragem em continuar.
Sei como é, por que sinto como é!
Também sei que nunca é tarde demais, quando queremos de verdade!
E sempre estarei bem aqui!!

A todos:
Amor e muito amor

Beijos na alma.

16 de mar de 2011

Avaliando.




A vida tem acontecido, simplesmente.
Nada muito emocionante, nada pouco emocionante.
De dentro de mim e de longe do resto; volto a obsevar com interesse, tudo a minha volta.

Minha mãe está estável. É um momento de tranquilidade no meio da turbulência.
Ainda me assusto em pensar que isso possa se prolongar. Algumas vezes acho que não tenho mais forças...
Mas quando o dia nasce eu me levanto novamente.

Mas sempre há alguns descontentamentos.
Meu trabalho me deixa descontente. Haviam tantas expectativas quando comecei... Mas estando aqui dentro, vejo que eram meras expectativas de uma novidade, sem fundamentos reais.
Na prática, tudo verteu-se em um pouco de frustração. Isso tem me cansado.

E, como não sei viver sem observar, tenho vistos os meus amigos se perderem da realidade dentro de suas consciencias inconscientes.

Vejo lágrimas não de arrependimento por seus erros, mas por ter menos do que havia antes.
É difícil mesmo assumir erros.
Vejo omissões de contatos e diálogos em cima de promessas de amor.
Vejo, vezes incontáveis, um ser "colecionar" outro como troféu. isso é repugnante! Ofensivo, pra mim!
Vejo reclamações de onde deveriam vir graças aos deuses.
Vejo uma insanidade de estar e ter alguém que sempre acaba em lágrimas, sofrimento e rancor...

Sufocam-se em carências e desespero.

É triste!
Deprime.

Por sorte observo alguns que dão a volta por cima, assumem seus erros, seus atos, descobrem quem são. Aprendem com a dor.
Mas na marca de 5 pra 1...
Não digo que seja mais fácil encarar realidades do que somos, sentimos ou fazemos.
Na verdade, arrisco dizer que é muito mais dolorido. Mas sempre compensa um pouco mais no final de tudo.

Fico vendo pessoas que preferem a fuga de tudo o que não lhes agrada.
Fuga de sentimentos, ignorância da verdade, omissões de sinceridade, exclusão dos gestos.

Me deixo levar pela minha, nada doce, realidade. Prefiro assim!
Me orgulho das cicatrizes que a vida me deu. Foram marcas sofridas, doloridas, mas que me mostraram que posso aprender com tudo a minha volta e ser um pouco melhor a cada dia.

Olho em volta, assumindo minhas frustrações e meus descontentamentos, assumindo meus erros e arcando com suas consequências, comemorando meus acerto, brindando minhas vitórias...
Fico feliz!

De tudo nessa vida há três coisas que NÃO sou!
Não sou falsa.
Não sou mentirosa.
Não sou covarde

Não sou fake de qualquer um, nem de mim mesma!!



Um brinde às pessoas que se assumem em tudo o que sentem, pensam e/ou fazem.

Amor à todos
Beijos na alma

9 de mar de 2011

Mais um desnudar de alma...








A semana passada ( ainda bem que passou) foi difícil e dolorida!
Me dei um tempo no carnaval, era necessário. Ficar um pouco com os meus, sem grandes alardes.
Namorar um pouco, curtir os filhos, brincar com o cachorro, essas coisas que se fazem essenciais na vida da gente!

Mas agora a vida urge. Grita, reclama que lhe seja dada atenção.
Ontem estive conversando com o Leão... Curioso como de uma hora pra outra a vida perde um pouco o sentido, ou será que somos nós que ficamos nonsenses?
A gente passa a não ter a vontade gloriosa de realizar as coisas. Pior é essa vontade tornar-se um fato, um ato! E nada ser mudado.
Seja por um amor quebrado, um sonho desfeito, uma decepção angariada...

É meio assustador e mesmo frustrante, que pessoas que saibam tanto de si, e que saibam onde querem chegar, e mesmo como chegar, percam o interesse e a grande vontade de dar o próximo passo, seja ele para onde for...
E me vi nessa classe, me assusto!

Necessito recuperar os encantos perdidos nesses últimos tempos.
Não os meus próprios encantos, mas os encantos pela vida em si, que tanto aprecio.
Por vezes o que mais necessito é o silêncio de palavras, anseio que gestos sejam vistos, que sejam sentidos, e não declarados.
Mas é chegada a hora de sentar-se, só, analisar o caminho e começar a caminhada!


Percebi que há tanto em mim que não tenho apreciado...
Há tanto para ser modificado.
E mal sei por onde começar... As vezes me perco, por que quero fazer tanta coisa, e tem muita coisa a ser feita... e como não consigo, me vem a sensação fatídica de frustração.
Esses dias tendo vivido com minha mãe entre sessões de quimio, hospitais, internações e altas, e tudo o mais... me ponho a pensar na vida mais de perto, mais como ela é.
É indizível, até aterrador essa eminencia de morte na vida da gente, especialmente quando não é com a gente!
Obrigatoriamente me ponho a pensar em tantas faces que tenho...
Filha, mãe, irmã, mulher, amiga...
Será que tenho feito as coisas que preciso pra com os que eu amo? Será que tem sido o bastante? Será que tenho falhado?
É curioso, como, com tanta vida pela frente, seja a possibilidade de morte, que mais nos faz pensar em vida e como a vivemos...

Para mim, tem sido inevitável, certas analises.
Uma vez li em algum lugar as 10 coisas que se precisa fazer antes de morrer...
Nunca pensei em uma lista de coisas pra fazer antes de morrer, mas não deixa de ser interessante pensar em quantas realizações eu quero fazer...E acabei por pensar em uma lista própria.
Embora hoje, exatamente hoje, eu só queira ver os dias se realizarem um de cada vez!



Amor à todos

Beijos na alma.

3 de mar de 2011

Atualizando

(Imagem by Google)

Sumi de novo...

Estou me débito com todos meus leitores e amigos...
Ai, de repente, (do jeito que a vida é comigo) tudo acontece... Ontem recebi um texto da Thais Stella, do "dia do coringa",escrito pelo Rubem Braga com o titulo "Ao respeitável publico".
Me toquei que era uma indireta.
Então aqui estou contando de tudo um pouco.

Só da pra justificar minha distância, como um ( nada singelo) TA FODA!!

Vou fazer um resumo retrospectivo, pra não parecer que estou falando sem muito nexo.

No final de 2010, minha vida era sinonimo de loucura. Estava trabalhando 14 horas por dia e passando noites sentada na cadeira de plástico do hospital, onde minha mãe estava internada.
Hospital publico, quarto compartilhado... O acompanhante dorme como? Não dorme!!! Cochila sentado em uma cadeira de plástico.
Antes do Natal, minha mãe voltou pra graça, e eu fui para um  mundo além mundo, dentro de mim, mas fora do universo.
O cansaço físico, mental e espiritual me abateu!
Então, aves raras, essa "fortaleza" que vos escreve, tombou um pouquinho.

Muitas lágrimas depois, resolvi me dar um tempo. Nada de nada, nem visitas, nem saídas, badalações fora do cardápio... A ideia era ficar só comigo mesma.
Me deixei, então, sentir todo o cansaço dos dias vividos por osmose, deixei tristeza penderem pelos dias vividos em catarse.
Chorei em voz alta minhas fraquezas e frustrações e silenciei.
Nunca estive tão só.
E por isso precisei desse momento.
Como não havia muitos com quem falar, preciso deixar minha gratidão ao que estavam lá, e me ouviram, quando eu simplesmente não falei nada... Anselmo, Renata, Sheine.

Confesso, que mesmo agora, um tempo depois tudo continua difícil e dolorido. Esta vida de hospital é mesmo ingrato ao ser humano que anseia viver plenamente.
As vezes penso que o câncer vai vencer... E sinto muita raiva da minha impotência.
Outras vezes acho que minha mãe vai superar tudo e todos.
E, há ainda os momentos, em que penso que a única que não vai aguentar sou eu...

Toda aquela ânsia pelo ano novo continua em mim. Admito, que de vez em quando um desanimo tenta se fazer companheiro. Mas eu continuo em pé.
Outro dia num surto de desespero, após outra ida ao hospital, falei para um amigo, que ninguém deveria sofrer assim, melhor seria que tudo passasse de uma vez.
Não sei se me arrependi da frase, ou se passei a crer nela, e isso me deixa entristecida, com a alma trincada de dor, por não poder fazer nada de pratico.

Olho minha mãe e vejo nela o resultado da doença.
Aquela mulher forte, grande, com vasta cabeleira, alta de voz potente, tornou-se uma fragilissima senhora, que balbucia palavras que precisam de atenção para serem ouvidas, ossos a mostra sob a pele, e agora ela é do meu tamanha, se não menor que eu.
E ainda, assim, é a pessoa mais forte que já vi.

Eu sei que as vezes ela chora escondida, mas não perde a fé.
Quer a cura, mas pede para que seja feito apenas o melhor.
E mesmo sendo ela a acamada, costuma dizer que vamos vê-la dançar um xaxado, após comer um prato enorme de feijoada.

Meu carinho, minha admiração, meu amor cresceram tanto, ela nem pode saber.
E mesmo após todas as magoas do ultimo  ano, só quero vê-la reclamar outra vez da bagunça que vê por ai.

É... contar como isso fica dentro de mim é uma das coisas mais difíceis que já tentei, Acho que por isso, também, fiquei um pouco longe de desnudar minha alma.
E como o somatismo vive em mim, febre, alergia hepidermica, queda de cabelo, menstruação desregulada, ataque de choro, se tornaram formas de extravasar.

De qualquer modo, sendo eu uma daquelas pessoas que irritam com sua positividade diante de tudo. Vou aprendendo as lições, nada fáceis, que vão sendo distribuídas pelo caminho.
Continuo com metas traçadas, planos em execução e o coração cheio de esperança, que realmente, é a ultima que morre!
Vou revendo meus conceitos, meus limites, tendo a certeza dos verdadeiros amigos, recriando ideais e descobrindo minha própria força, ou a falta dela.

E vou deixando meus obrigadas...

E só tenho a dizer:

A Rita: Sem você, eu não conseguiria!!!
Ao Anselmo e Eder: Vocês são do caralho!!! Os mais fiéis escudeiros do mundo.
A Renata e Sheine: Cada palavra vira musica, quando dita por vocês.
Aos filhos: Cada abraço, cada xícara de café, cada cafuné na cabeça me dá nova vida.
A Lidi ( minha irmã mais nova): Quando eu crescer, quero ser como você!!



Amor à todos

Beijos na alma

Saudades daqui

Sei que ja faz um tempo que não venho por aqui, mas hj apareci.
Hoje, vim so agradecer ao selinho dado pela Renatinha, do "meu maior projero: ser mae" ( link ja sabem.... ai do lado) e passar adiante pra aqueles blogs que merecem!!!


Fiquei muito contete, e grata, em saber que meu blog merece elogio de alguém tão especial pra mim!!!


Então, existem algumas regrinhas: Indicar 15 outros blog e avisar e responder algumas coisas pessoais:
Nome: Mariah
Uma música: Iguais (Isabella Taviani)
Humor: sempre em alto, mesmo quando esta em baixa.
Uma cor: azul
Uma estação: Outono
Como prefere viajar: avião com certeza.
Um seriado: Eu, a patroa e as crianças, Dr House.
Frase e/ou palavra dita por vc: "nao sou bau"

O que achou do selo: Adorei!!! Uma graça.


15 blog's:  Aqui complica, tenho uns mil pra indicar....

Ai vai:
Entranhas vermelhas
Para Francisco
Bicho Solto
Mamiferas
Obolo Sanie
Blog das mil ideias
Mais Sumaya
Hoje eu vou assim
O dia do coringa ( que precisa de atualização, rsrs)
Pensametos em letras e cores
Um pouco de Ni
Fina flor ( off line, mas sempre merecedor!!!!)
Dedinhos de moça
Diario da Thais
Etcetera

Todos com link ai do lado.

Só passar adiante!!!


Agora deixo beijos na alma.