Translate

26 de ago de 2012

Vivo do que me faz bem!




E de repente se torna obrigatório viver do que nos faz bem!

Bons amigos fazem muito bem!
Pessoas não tão boas  fazem um mal danado. E a gente ainda perde tempo...

Prazer ajuda a remoçar!
Aprender a viver ajuda a achar as coisas que nos fazem bem.

Romantismo em excesso machuca e torna a pessoa amarga. E nem sempre a pessoa percebe que a culpa é dela mesmo... Sim, romantismo demais provoca sérios danos às boas relações por causa do excesso de expectativa que a se joga em tudo.
Romantismo, na dose certa, é excelente para o bom humor, para a saúde física e metal, para o prazer de estar vivo.

É preciso ler bons livros, ver bons filmes e beber bons vinhos.
Acompanhado é ótimo. Sozinho é saudável.

Rir a toa, brincar com os filhos, com os bichos de estimação, aprender que esperança é um sentimento e que gratidão TAMBÉM é!
Tudo isso faz um bem enorme a mente, ao corpo e a alma.

Amenizar criticas férreas aos outros e nós mesmo pode ajudar um bocado.
Respeitar seus limites e os limites alheios são luzes no fim do túnel.
Perceber que ninguém detém toda a verdade nem todo o conhecimento sobre tudo e que as outras opiniões tem sua relevância mesmo que não mude nada para você; não vai salvar seu bem estar, mas com certeza não vai provocar seu mal estar.
Lançar um "foda-se" de vez em quando e um "Puta que pariu" desopila o figado!

Amar!
Amar com coração.
Amar com o corpo.
Amar com a boca,
Amar com os olhos.
Rejuvenesce uns 12 anos.

E o que não faz bem...
Gente que tem um mundo só seu, que não amadurece, que é egoísta, que não percebe nada além do umbigo.
Lugares que não agradam, leituras que não são boas... tudo aquilo que não vale a pena. delete!

A alma leva marcas indeléveis da nossa existência; o ideal é procurar fazer o melhor possível!
E é assim, escolhendo o que é bom para si que vamos seguindo.

Amor a todos.
Beijos na alma.





5 de ago de 2012

Onde possa me ouvir...





Semana longa.
Tarefas mil, e a cabeça mais a mil ainda, se é que é possível.
Ando numa tensão tão absurda que tudo em mim dói. O tempo passando, as mudanças que planejei se aproximando e me da um friozinho na barriga.
Audiência com ex marido semana que vem, mais tensão.
Filhos crescendo, querendo, precisando de tudo e sempre mais.
De repente parece que o chão esta fugindo um pouco dos meus pés. São tantas coisas pra fazer... em tantas eu tenho que me dividir, por vezes parece que não vai dar.
Mas só as vezes.
Essa semana eu senti saudades das pessoas, como eu não sentia há muito tempo.
Saudades de algumas amigas, agora tão distantes, saudades até dos anjos e demônios que habitaram a minha vida.
Saudades do meu Leão.
Saudades de um pouco de silencio e longas horas de frente para o mar.
Uma vontade imensa de falar de tudo o que me aflige por horas infinitas até se gastarem todas as sensações; e ao mesmo tempo vontade de silenciar para o mundo e deixar as coisas apenas acontecerem.