Translate

28 de mar de 2015

Texto especial!



Todo o meu carinho ao receber, esse presente da linda e querida amiga, Aline Xavier.


Na minha vida, gente Tem gente que está sempre presente. 
Tem gente que quase sempre está ausente. 
Tem gente que fica pouco, porém com presença. 
Tem gente que fica muito, com ausência.
Tem gente que por vezes está, tem gente que passa e se deixa levar. 
Tem gente que leva um pouco de mim, tem gente que deixa algo aqui e tem gente que chega e permanece. Porém, o mais importante é que sempre tem gente.



Sobre Aline Xavier
Ex-concurseira olímpica, amante da escrita e fascinada por relações humanas. Psicóloga para os amigos, não sabe o que fazer com a própria vida. Apaixonada por pessoas consideradas ovelhas negras, com as quais comumente se identifica. Atualmente funcionária pública, está na jornada em busca do seu propósito. Escreve sobre um pouco de tudo em alinexavier.me, no blog Superela e em facebook.com/alineandxavier.

4 de mar de 2015

Bloqueio de sentires



(Imagem by Google)

E aí que eu decidi escrever muito nesse ano, e a primeira coisa que consigo é um bloqueio.
Seria cômico se não fosse trágico...
Um monte de concursos aí, eu querendo participar, mas não sai nada, uma linha, umazinha sequer.
Foi um parto escrever um conto ruim de 4 paginas.
Forçado mesmo.

Onde me perdi, não sei...
As palavras gastas e já tão iguais ficaram na estrada.
Talvez eu precise do silencio da madrugada, da luminária branca, uma boa escrivaninha e uma xícara de café.
Talvez me falte mais amor no coração.
Talvez me falte observar.
Não sei.
Apenas não saio do lugar. E são voltas e voltas, e vejo a letras virando tantas frases, sendo seguidas de perto pelo delete.
Eu, vã aspirante a escritora, já tendo bloqueios.
É sim. E, repito, seria trágico se não fosse cômico.
Tento escrever um texto e já penso, não gosto de segundas feiras.
Onde eu fiquei?
Em que ano ficou minha ordem?
Onde foi parar a escrivaninha branca e suas duas gavetas?
Cade as velas aromatizadas que perfumavam as gavetas?
Onde deixei a ordem das minhas roupas, dos meus livros?
Onde esta a ordem linear da minha mente?
Onde está a ordem do meu coração?
Hoje me vejo incapaz de escrever sobre essas machucaduras, coisas que a vida arruma, quando a gente se percebe vivendo...
Hoje me sinto incapaz de escrever sobre você.


Beijos na alma.