Translate

20 de mai de 2011

Hoje só por hoje...






Hoje estou com uma sensação estranha e indefinida no peito
Ontem tive uma briga com meu filho de 15 anos, e de repente um peso muito grande fez parte de mim.

E nessa mesma discussão, senti uma das maiores emoções de toda minha vida!
Meu filho olhou pra mim, bem no fundo dos meus olhos e me disse: “Mãe, você é a mulher mais forte que eu conheço! Não é pra qualquer uma peitar o mundo, criar três filhos sozinha, dar bronca e carinho com a mesma intensidade..."
Chorei muito.

Às vezes fica dentro de mim, uma sensação de fracasso tão grande, ou de falta...
Parece que não dou conta para os diversos papeis que a vida me deu.
E ouvir meu filho falando assim, no calor de uma discussão, onde eu usava deliberadamente meus direitos e poderes de mãe; Foi uma recompensa para os meus dias de stress e para minhas duvidas sobre minha própria capacidade.

Eu não sei por que, mas tenho a impressão que em alguns momentos a vida vem sacudindo tudo só pra fazer a gente ver que pode um pouco mais.
Eu tenho me sentido meio cansada nesta ultima semana.
São tantas pendências pra finalizar, e me sinto tão sem forças. Ontem ao menos, eu pude ver que estou indo pelo caminho certo.

Às vezes, como agora, tenho vontade de fugir pra algum lugar lá bem escondidinho do mundo, e ficar lá um pouco. Escondida disso que se chama vida, disso que se chama viver.
E os papéis?
E todos os papéis que nos cabem fazer?
Não são poucas as vezes que tenho medo de não conseguir...

Hoje, não só pela briga, mas pelo acumulo de sentimentos na garganta, que já não se vertem em lágrimas com facilidade. Eu me sinto imensamente sozinha.
Com aquela estranha sensação de não estou na mesmo dimensão de mais ninguém, e estar tão só é dolorido.

Preciso despir minha alma, mesmo com o frio a domina.
Mas hoje, só por hoje, me deixo entristecer...


Amor à todos

Beijos na alma

17 de mai de 2011

Agora 36!!




Quando deu meia noite de sabado e então esse sabado virou domingo, meu Leão me deu um beijo carinhoso, um abraço apertado e me disse "Parabéns!".

Estava confirmado.
Meia noite e um. Eu tinha 36!!

Curiosa a reflexão que se faz, mesmo involuntariamente, em algumas datas...

Pensei em como havia sido meu ultimo ano pessoal, sua evolução e sua revolução.
Inevitável, pensar nas mudanças...
De emprego, de profissão, de idéias e conceitos, sentimentos e metas.
Nas mudanças da vida... A doença da minha mãe, a briga com meu pai, o afastamento da família, e um reatar de relações distantes e doloridas.
O tempo mal acontecido, mas compreendido , para amar, para ver os filhos...
O cansaço infinito de tantas labutas, de tantas lágrimas, e também de alegrias, pelo sabor de me ver amada. tão amada que mal podia crer!

Pensei em auto-conhecimento, que veio com alguma dor e uma certa tristeza, mas floresceu em tudo o que sou e gosto tanto de ser!
Me lembrei dos amigos queridos que ficaram pelo caminho, alguns por opção, outros pela falta dela... e alguns sem explicação.
Comemorei o reencontro dos velhos amigos, Sheine ( minha doce ilusão ), Erika ( Kika) que nem tem definição e se faz tão necessário na minha vida.

Celebrei com intensidade o encontro de novas almas. Nix, Angel D'mont, Danielli.

Errei muito... tanto que nem lembrei de tudo, mas acertei também, e acertei bonito!!!

Foram tantos os pensamentos... Mas apenas uma a certeza.

Valeu a pena!!!!

Aprendi tanto nesta jornada. Fiquei grande, fiquei corajosa, até me deixei ser um tanto pretenciosa. Um pouco egoísta talvez. Desta que gostam de cuidar de si, que se permitem a felicidade.

Quantos as perdas... prefiro chamar de movimentos.
Cada um faz seu próprio movimento. Eu escolhi o meu, e é seguir nesta caminhada.
Aprendi que ajuda ofertada nem sempre é valida. No entanto continuo aqui!

36 sim!! Com muito orgulho!!!
Com o coração apaixonado, com a mente cheia de ideias, com carinho recebido e ofertado e com o corpo pulsando vida em cada poro.


Amor à todos
Beijos na Alma.