Translate

29 de ago de 2008

Ainda sou tua... Hei de voltar...só preciso de mim mesmo.

Porque ela acordou assim... com o coração perfurado, sem entender que tratava-se de si mesmo e não dos outros, nunca dos outros...

Outra noite em claro... Ja se fazem duas que nao adormeço para acalmar meu espirito.
Adoraria ter lua para olhar, assim poderia rever o brilhos do teus olhos, agora distantes mas marcados na alma...
Assim poderia relembrar outros traços, nesse momentos tão presentes em mim mesmo.
O bom, é saber que tudo na vida é único, sempre único, sempre novidade...dia igual jamais haverá. Cada dia que saio fenix de cada um dos meus ninhos, me dói o corpo, o ser, a alma, as entranhas... me dói a alegria do reencontro.

Aliás, a grande graça da vida é não ter dias iguais, mesmo que semelhantes.
Me busco com avidez, para não me perder demais de ti...
Eis minha declaração!!!!
Gostaria de dormir só um pouco, encontrar mesmo que em sonhos, um olhar familiar, ainda que triste, e me lembrar da voz suave me pedindo para voltar logo. Ao menos adormecida me sinto menos "bi polar" ( Vou fazer o exame juro!!!)


E assim vai-se o post de hoje, nao há explicação para oque esta escrito senão a imensidão da saudades que a gente sente na alma, e nem sequer sabe explicar...
Esse é especial para quem entende disso, de saudades de alma...

"Até cortar os próprios defeitos pode ser perigoso. Nunca se sabe qual é o defeito que sustenta nosso edifício inteiro."
Clarice Lispector




Amor


Beijos na alma

Nenhum comentário: