Translate

6 de mai de 2010

Tempo de si próprio




Hoje eu estava me lembrando de um fato...
Quando criança e costumava olhar atrás dos espelhos, para saber o que havia lá.
Sempre curiosa de mim mesma e do resto do mundo, e o espelho me encantava, me fascinava e me assustava em igual proporção.
Eu achava que havia um mundo distinto ali, e a forma de entrar nele seria pelo fundo o espelho. Talvez a menina que me olhava , fosse diferente e tivesse tudo diferente a me ensinar...
Nunca achei nada além do papelão que segurava o vidro dos espelhos pequenos, nem da moldura que cobria o avesso dos grandes espelhos...

Então hoje ao olhar pra mim no espelho, percebo que o que eu buscava não era o que estava atrás do espelho, mas sim o que eu estava atrás dos olhos que me observavam nele.
Hoje, anos de distância dos espelhos da infância, começo a pensar nos espelhos de amanhã.
Estou prestes a completar aniversário, e não pensar em com serão os próximos anos é inevitável. A auto-avaliação é algo impossível de não fazer; afinal são escolhas, reflexos, ações e reações...
É impossível não ver com clareza o que esta, não atrás, mas dentro de tudo o que sou ou que me tornei nesse tempo.

Nesses últimos dias, senti que estava no inferno astral e todas as letras, assim como as sensações, eram maiúsculas e em neon.
Bem, agora vem a mudança de ciclo, de atmosfera de tempo.
É o tempo de mim mesma e nada mais.
De futuro nada sei. Agora quando olhos os espelhos olho de frente, já não busco o que tem atrás.

As vezes sou proativa, as vezes reativa...
"E tudo o que ofereço é meu calor, meu endereço "
E sou feliz assim!



Amor á todos.
Beijos na alma.

Nenhum comentário: