Translate

10 de set de 2012

Falando, simples assim...




E de repente a gente se cansa...
Ando bem irritada.
Aborrecida com a falta de ética das pessoas, remoendo velhas broncas que ficaram no peito.
Decepcionada com a falta de verdade em muita gente e com muitas preocupações... Minha época de mudanças esta aí, batendo na porta.

Ando preocupada comigo!

Descobri um inchaço estranho no pescoço, e dado o histórico familiar de câncer, já estou apavorada.
Eu não sei dizer, mas assim de repente parece que todo o “meio de campo” ficou embolado.
E essas incertezas são de matar.

Fico pensando em todas as seleções que se fazem naturalmente na vida da gente, e imagino se essas rasteiras da vida não vêm com a finalidade de colocar a gente no caminho certo, mesmo que pareça torto no inicio.

Ando retorica, eu bem sei. Mas acho que as coisas tristes não se gastaram em mim.
Ando precisando de coisas novas. E precisar do novo também é natural.

Com o tempo a gente vai aprendendo a encarar os desafios, mas é impossível evitar os medos.
E de medo eu entendo bem...
Tenho medo de errar nas escolhas, tenho medo de errar nos julgamentos, (por que, sim, mesmo sem querer fazemos julgamentos!)
Tenho medo de errar nas palavras, medo de errar nos gestos, medo de errar na vida alheia.

E mesmo com medo, a opção é seguir em frente.
E de repente compensa que essa seja a única opção, assim desistir fica inviável.
Não sou muito boa em desistir das coisas...

E assim vou seguindo meu caminho de tijolos nada amarelos. Desejando um ombro amigo de vez em quando, ansiando certezas que estão completamente além de todas as minhas possibilidades e continuo indo.



Amor a todos

Beijos na alma.


Nenhum comentário: