Translate

12 de out de 2010

Sobre os últimos sentimentos



Há momentos onde uma onda tão grande de sentimentos nos invadem, que o ar foge dos pulmões, a boca seca, a cabeça gira e não resta sensações de lucidez.
Ando zangada! Decepcionada.
Não sinto conforto por onde ando,. É como se não houvesse um lugar que me coubesse. O seio familiar não conforta, inexiste, fere, ofende.
Existe um lugar que preciso pra sobreviver, um espaço meu, mas me sinto impedida de alcança-lo.
Fragilidade, raiva, medo insegurança... isso tudo tem me devorado a alma.
É como se eu não coubesse para todos os papéis que me foram delegados... Quero silêncio, mas somente eu  faço... O resto do mundo, tenho a impressão, permanece aos gritos.
As vezes tenho raiva.
Todos os acontecimentos, o trabalho, a família, alguns amigos... tudo me aborreceu tanto.
Sinto raiva dos que me cobram, dos que me julgam. Por vezes acho que não vou conseguir lidar, não apenas com as situações que me entristecem, mas com a sensação (infinitamente desconfortável) que me cerca.
E me sinto estranha por isso.
Sei que estou divagando um pouco, mas não sinto as palavras se estabelecerem em mim com clareza, no entanto elas precisam sair de dentro de mim.
Me lembro dos momentos de infância, onde havia a certeza, ainda que só minha, de plenitude e segurança, coisas que quando a gente cresce, perde...
Mas crescer é necessário, mesmo sendo dolorido...
Ando desacreditando dos "sentires".
Ando nauseada com atitudes, cobranças, julgamentos, falta de respeito... e, pior, é só o que tenho visto por aí.
Enfim, não tenho certeza de futuro, aliás de nada sei... E nem sempre sei o que fazer, mas o que NÃO  fazer, com certeza eu já aprendi.


Amor à todos
Beijos na alma

Um comentário:

tatiane disse...

Adoro Esse Jeitinho de se expressar,verdades verdadeiras que encantam....
Te Adoro muitão Alcantara,vc passa na nossa vida e deixar sua marquinha,marquinha boaa no coração com esse jeitinho Durão mais na verdade delicada como uma rosa...
Adorei seu Blog e voltarei...
Bjim