Translate

27 de mar de 2009

Eu te li, eu te vi, eu me descobri....



 Evanescence - My Immortal



o dia se fez noite e a noite se fez dia e assim aconteceu diversas vezes.
E então eu percebi...
Eu soube...
Da nossa igualdade, da nossa diferença, da nossa necessidade, da nossa existência.
Somos assim, enquanto seres humanos, nos buscando com despesero.
Nossa alma sabe que em algum lugar a nossa outra parte está. E que é exatamente igual, embora diferente.
As nossas lembranças são um elo indizível por quem não sabe o que é o sentir.
Eu bem sei quando falo da minha alma-metade, assim como sei quando a minha alma-metade fala de mim.
Algumas vezes é mais fácil entender do que dizer, traduzir.
Por vezes, é preciso perder-se em si mesmo, para se achar depois sendo pessoa.
Somos sós, somos pares, somos nós!

" Ando só, como se andasse em bando/ Ando só, como um pássaro voando/ Ando só, pois só eu sei viver, sem saber até quando..."
(Engenheiros do Havaí - Ando só)

Amor à todos
Beijos na alma

PS1: Voltei!!! A viagem foi incrivel. Aprendi, me transformei..
PS2: Amados os comentários estão moderados, por questões éticas e também pessoais. mas peço que continuem escrevendo, mesmo não publicando todos, leio e respeito muitos, os comentários de vocês!!

3 comentários:

Shanne disse...

Que bom que atualizou!!
A viagem fez bem, pois voltou poética. Li seu texto e fiquei pensando em minha própria necessidade de "ser só e andar em bandos".
Acarinhe a idéia de um livro.
Acho sua escrita muito boa!!

bjkas

Anônimo disse...

POSTAGEM BOA DEMAIS!
O BOM DOS SEUS TEXTOS É QUE A GENTE COMEÇA A PENSAR NA GENTE MESMO, E VÊ QUE SENTIMOS MUITO IGUAL, E ACHAMOS MUITO DIIFERENTE.
LEGAL QUE VOLTOU. TAVA MESMO COM SAUDADES DE LER ESTA BELISSIMA ALMA NUA.

BJ

PS: NAO ESQUENTA COM O MODERADOR, A GENTE ENTENDE, LÊ E COMENTA, PQ É BOM DE LER, E BOM DE DIZER.
PARABÉNS AMIGA, A MUSICA TA PERFEITA.


AMANDA MANCINI

Anônimo disse...

Meio por acaso passei por aqui, e percebi que você havia voltado.
Para a grande alegria dos seus leitores, como eu, diga-se de passagem.
Parabéns, outra vez, pelo texto. De forma singela e sutil esta aí declarado, novamente, o encanto dessa alma de poeta.

Abraços