Translate

4 de nov de 2016

1º conto #tambéméviolência




Um dia ele estava na padaria com os amigos, eu cheguei por trás dele, quietinha, ia dar um susto. Os amigos dele começaram uma "brincadeira", perguntando sobre as mulheres de onde ele trabalhava, e ele respondeu que eram gostosas, lindas, uma delicia e por aí vai.
Eu estava bem atras, ouvindo, e os amigos riam.
Eu fiquei sem graça, constrangida!
Quando os amigos perguntara, sobre mim, ele disse "ah, sei lá, deve estar por aí me procurando, combinamos de nos encontrar no parque, mas eu vim pra cá com vocês". O estouro de riso foi alto, irônico, era, também, para mim. Era, também, DE mim!!
Eu estava me sentindo mal, ridicularizada!
Ele olhou para trás, olhou pra mim; caiu na risada e me abraçou.
Eu ri contrariada.

Ele nunca se desculpou, ficou tudo na ideia de que era apenas brincadeira. Depois dessa, várias "brincadeiras" aconteceram.
A violência tinha começado, eu não tinha percebido.

Ele debocha de você??
Isso não é brincadeira. #tambéméviolência #chegadeviolência


Participe dessa campanha contra a violência!
conte sua historia. mande seu relato para mandapramariah@gmail.com, autorize a publicação, informe de deseja que seja anônima ou não.

Nenhum comentário: