Translate

11 de nov de 2016

2º conto #tambéméviolência





Na primeira vez, eles ainda namoravam, e ele disse:
- Nossa, amor, esse batom ta feio, ta muito puta, troca.
Ela trocou.
Quando já estavam casados, ele disse:
- Esse olho está muito preto, horrível; lava essa cara lá no banheiro.
Ela lavou.
Em uma ida ao cinema, ele disse.
- Você vai com essa saia? muito curta, coisa de puta.
Ela foi com a saia e ele não gostou, andava rápido, a saia subia e ela puxava para abaixar, mas não reclamou. Então ele disse:
- Eu te avisei. Saia curta não dá nem pra andar, se te perguntarem o valor do programa com que cara eu fico?
Ela ficou com vergonha e então, desconfortável.
Em outra dia de passear ele disse:
- Vai com esse vestido?? ele não esta apertado demais para o tamanho do seu corpo?
Ela desistiu de sair e ficou em casa chorando, Ele foi, lá ficou com outras mulheres; o casamento deles não era aberto.
Ela voltou a trabalhar porque ele, apesar de ganhar bem, não dava conta de pagar as noitadas que fazia sem ela e as contas da casa. Call Center, meio/período, pois tinha que ser esposa, dona de casa, mãe. Um dia ele disse:
- Para quê essa cara maquiada? ninguém vai te ver, mesmo.
Então ela disse.
- Porque eu gosto!
E saiu.
Foi sua primeira reação.


Ele mina sua auto confiança? Diz que você parece puta por causa de uma roupa ou batom?
Isso não é cuidado, isso é machismo! Isso #tambéméviolência @chegadeviolência


Nenhum comentário: